segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Fechamento - Setembro/2019 - R$ 205.518,35 ou +R$ 7.124,81 (+3,59%)

Sejam todos bem vindos!
O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -40,16% atingido.

Seguindo a luta cotidiana.

TRANSAÇÕES - SETEMBRO/2019

Fiz um pequeno aporte juntando com os recursos oriundos dos proventos recebidos para participar das subscrições de FFCI e RBED. Também fiz uma movimentação na parte dos fundos, redirecionando recursos para uma LCI que estava com boa taxa.  

Vamos ao resultado mensal fechado:

RENDA FIXA

  • LCI: +0,17% 
Novamente abri posição na renda fixa tradicional. Neste caso trata-se de uma LCI lançada pelo banco BTG com taxa de 105% do CDI e prazo de 6 meses para resgate. Como não tenho previsão de usar esse recurso no curto prazo fiz a aplicação. Rentabilidade acumulada de 0,17%.

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,52% 
Esse grupo é formado pelos fundos BTG Selic Simples (~56% do total), o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic (e que estou usando como reserva financeira) e o outro é o Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45 (~44% do total). Rentabilidade acumulada de 5,81%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +0,30%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. Aqui também está inclusa a reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,46%, fiz 0,52% nos fundos e 0,17% com a LCI. Na base anual tenho CDI (+4,66%) x Fundos (+5,81%) x LCI (0,17%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: +0,40% 
As únicas novidades foram as subscrições de Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI) e do Rio Bravo Educacional (RBED), que juntamente com a última subscrição do JS Real Estate Multigestão (JSRE) ainda não foram incorporados na carteira. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11). Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top continua a ser o Square Faria Lima (FLMA11) e a lanterna permanece com o Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI11). A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 13,05%.

  • AÇÕES: +4,21%
Como novidade somente o desdobramento de IRB Brasil (IRBR3) de 1:3. Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna passou para os braços de M. Dias Branco (MDIA3), que vem caindo continuamente nos últimos tempos (TIR de -8%). A carteira conta com 15 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 15,83%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando 1,04% contra 0,40% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa 3,57% contra 4,21% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+14,15%) x Meus FIIs (+13,05%) e Ibovespa (+19,18%) x Minhas Ações (+15,83%).

PROVENTOS - SETEMBRO/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Setembro: R$ 360,19
Total Anual Acumulado 2019: R$ 7.935,05

CONSOLIDADO - SETEMBRO/2019

Com as ligeiras alterações a carteira global passou a ser composta por 69,58% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 30,42% em renda fixa (fundos, empréstimos e LCI). Pequena variação no mês.




A rentabilidade mensal ficou em +2,44%, com resultado anual acumulado de +14,89% (cerca de 319% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!

Nenhum comentário:

Postar um comentário