sábado, 31 de agosto de 2019

Fechamento - Agosto/2019 - R$ 198.393,54 ou +R$ 4.796,18 (+2,48%)

Sejam todos bem vindos!
O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -62,61% atingido.

Seguindo a luta cotidiana.

TRANSAÇÕES - AGOSTO/2019

Aproveitando a restituição do IR e mais umas economias acabei fazendo um aporte em agosto. Os recursos foram direcionados para a reserva e também nas subscrições de JSRE e FFCI que estão em andamento. 

Vamos ao resultado mensal fechado:

RENDA FIXA

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,31% 
Esse grupo é formado pelos fundos BTG Selic Simples (~82% do total), o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic (e que estou usando como reserva financeira) e o outro é o Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45 (~17% do total). Rentabilidade acumulada de 2,02%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +0,00%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. Aqui também está inclusa a reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,50%, fiz 0,31% nos fundos. Na base anual tenho CDI (+4,18%) x Fundos (+2,02%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: -2,72
O fato mais impactante do mês foi o baque do Shopping ABC Plaza (ABCP11). Até me passou pela cabeça compras umas cotinhas pra arrendondar a quantidade que tenho, porém acabei deixando a bola rolar e ver o que acontece. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11), ainda que tenha sofrido uma perda razoável. Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top continua a ser o Square Faria Lima (FLMA11) e a lanterna permanece com o Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI11). A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 13,76%.

  • AÇÕES: +1,09%
Sem movimentação em agosto, fora a montanha russa que rolou no valor das cotações. Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna passou para os braços de Braskem (BRKM5), que vem apanhando igual pandeiro (TIR de -9%). A carteira conta com 15 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 11,14%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando -0,11% contra -2,72% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa -0,67% contra +1,09% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+12,97%) x Meus FIIs (+13,76%) e Ibovespa (+15,07%) x Minhas Ações (+11,14%).

PROVENTOS - AGOSTO/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Agosto: R$ 728,66
Total Anual Acumulado 2019: R$ 7.574,86

CONSOLIDADO - AGOSTO/2019

Com as alterações a carteira global passou a ser composta por 68,63% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 31,37% em renda fixa (fundos e empréstimos). Pequena variação no mês.



A rentabilidade mensal ficou em +0,23%, com resultado anual acumulado de +12,31% (cerca de 294% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Fechamento - Julho/2019 - R$ 193.597,36 ou +R$ 6.160,44 (+3,29%)

Sejam todos bem vindos!
O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -77,72% atingido.

Seguindo a luta cotidiana.

TRANSAÇÕES - JULHO/2019

Fiz um pequeno aporte, juntamente com o remanejamento de investimentos. Em decorrência aumentei posição no fundo Selic da BTG, aumentei posição em Alupar (ALUP11) e uma nova ação passou a integrar o portfólio: Cosan Logística (RLOG3).   

Vamos ao resultado mensal fechado:

RENDA FIXA

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,48% 
Esse grupo é formado pelos fundos BTG Selic Simples (~82% do total), o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic (e que estou usando como reserva financeira) e o outro é o Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45 (~17% do total). Rentabilidade acumulada de 1,71%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +7,32%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. Aqui também está inclusa a reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,57%, fiz 0,48% nos fundos. Na base anual tenho CDI (+3,66%) x Fundos (+1,71%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: -2,42
O fato mais impactante do mês foi a derrocada de XP Corporate Macaé (XPCM11). Cheguei a colocar minhas cotas a venda, porém mudei de ideia e decidi pagar pra ver. Meu preço médio está quase no valor de mercado então não vou simplesmente 'dar' as cotas pra um espertão ganhar em cima de mim. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11). Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top passou a ser o Square Faria Lima (FLMA11) e a lanterna permanece com o Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI11). A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 18,10%.

  • AÇÕES: +2,31%
Ampliei a participação das ações no patrimônio total comprando mais Alupar (ALUP11) e abrindo posição em Cosan Logística (RLOG3), que já tinha despertado meu interesse mas que por 'n' motivos ainda não fazia parte da carteira. Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna passou para os braços de M.Dias Branco (MDIA3) (TIR de 3%). A carteira agora conta com 15 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 9,88%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando +1,27% contra -2,42% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa +0,84% contra +2,31% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+13,10%) x Meus FIIs (+18,10%) e Ibovespa (+15,84%) x Minhas Ações (+9,88%).

PROVENTOS - JULHO/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Julho: R$ 3.109,62
Total Anual Acumulado 2019: R$ 6.846,20

CONSOLIDADO - JULHO/2019

Com as alterações a carteira global passou a ser composta por 69,62% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 30,38% em renda fixa (fundos e empréstimos).



A rentabilidade mensal ficou em +2,51%, com resultado anual acumulado de +12,35% (cerca de 337% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!

domingo, 30 de junho de 2019

Fechamento - Junho/2019 - R$ 187.436,92 ou +R$ 4.192,07 (+2,29%)

Sejam todos bem vindos!
O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -97,13% atingido.

Tentando retornar aos níveis pré-aquisição do meu carro. A meta propriamente dita acho que não vai dar em 2019.

TRANSAÇÕES - JUNHO/2019

Não realizei nenhum movimento neste mês. Vou tentar acumular mais recursos e fazer movimentos mais efetivos.  

Vamos ao resultado mensal fechado:

RENDA FIXA

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,68% 
Esse grupo é formado pelos fundos BTG Selic Simples (~75% do total), o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic (e que estou usando como reserva financeira) e o outro é o Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45 (~25% do total). Rentabilidade acumulada de 1,77%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +0,08%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. Aqui também está inclusa a reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,47%, fiz 0,68% nos fundos. Na base anual tenho CDI (+3,07%) x Fundos (+1,77%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: +3,85% 
De novidade somente a incorporação das cotas subscritas e sobras de SDIL11. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11). Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top passou a ser o Hotel Maxinvest (HTMX11)) e a lanterna volta para o Rio Bravo Renda Corporativa (FFCI11). A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 20,94%.

  • AÇÕES: +3,22%
Sem alteração neste mês. Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna segue com Fleury ON (FLRY3) (TIR de -3%). A carteira conta com 14 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 7,90%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando +2,88% contra +3,85% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa +4,06% contra +3,22% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+11,67%) x Meus FIIs (+20,94%) e Ibovespa (+14,88%) x Minhas Ações (+7,90%).

PROVENTOS - JUNHO/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Junho: R$ 802,36
Total Anual Acumulado 2019: R$ 3.736,58

CONSOLIDADO - JUNHO/2019

Com as alterações a carteira global passou a ser composta por 67,65% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 32,35% em renda fixa (fundos e empréstimos).


A rentabilidade mensal ficou em +2,31%, com resultado anual acumulado de +9,68% (cerca de 315% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!

sexta-feira, 31 de maio de 2019

Fechamento - Maio/2019 - R$ 183.244,85 ou +R$ 3.664,02 (+2,04%)

Sejam todos bem vindos!
O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -110,34% atingido.

Pouco acima do que estava no final de janeiro, porém longe do necessário.

TRANSAÇÕES - MAIO/2019

Muita movimentação neste mês. Liquidei minha posição do Tesouro Direto (NTNB 2035), direcionando os recursos para a renda variável (principalmente ações), além de aumentar posição em fundos e empréstimos.  

Vamos ao resultado mensal fechado:


RENDA FIXA

  • TD: NA
Em virtude do ganho futuro em NTNB 2035 ter chegado próximo ao um limite razoável decidi fechar minha posição no momento. Assim, atualmente não possuo mais nada desta modalidade.  

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,42% 
Realizei um novo aporte no fundo BTG Selic Simples, o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic e que pode ser resgatado caso haja oportunidade melhor. O outro fundo do portfólio é o Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45. Rentabilidade acumulada de 1,09%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +0,08%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. O principal será pago futuramente, de modo que as correções mensais contabilizarei como aporte negativo (usarei as mesmas para abater outros acordos que temos). Não vou comparar rentabilidade neste item pois a função do mesmo é diferente das outras aplicações. Voltei a recompor minha reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,54%, fiz 0,42% nos fundos. Na base anual tenho CDI (+2,59%) x Fundos (+1,09%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: +3,70% 
Como novidade tivemos a incorporação das novas cotas de MXRF11 e a subscrição de SDIL11, no qual participei tanto da oferta direta quanto das sobras, porém as mesmas ainda estão no 'limbo'. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11). Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top continua a ser o Fundo Square Faria Lima (FLMA11) e na lanterna permanece o GGR Covepi (GGRC11) por pouco. A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 16,45%.

  • AÇÕES: -0,83%
Grandes mudanças por aqui. Abri posição em uma empresa que já estava no radar faz tempo: M. Dias Branco (MDIA3), aumentei posição em Fleury ON (FLRY3) e adicionei uma pimentinha na carteira - Via Varejo (VVAR3). Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna segue com Fleury ON (FLRY3), atualmente (TIR de -10% considerando o novo preço médio). A carteira conta agora com 14 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 4,54%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando +1,76% contra +3,70% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa +0,70% contra -0,83% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+8,55%) x Meus FIIs (+16,45%) e Ibovespa (+10,40%) x Minhas Ações (+4,54%).

PROVENTOS - MAIO/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Maio: R$ 303,15
Total Anual Acumulado 2019: R$ 2.934,22

CONSOLIDADO - MAIO/2019

Com as alterações a carteira global passou a ser composta por 66,95% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 33,05% em renda fixa (fundos e empréstimos).






A rentabilidade mensal ficou em +0,33%, com resultado anual acumulado de +7,20% (cerca de 278% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!

terça-feira, 30 de abril de 2019

Fechamento - Abril/2019 - R$ 179.580,83 ou +R$ 1.692,64 (+0,95%)

Sejam todos bem vindos!
O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -121,89% atingido.

Ainda longe do ponto que eu estava inicialmente. Assim, continuo no vermelho.

TRANSAÇÕES - ABRIL/2019

A despesa do mês foi decorrente da subscrição de MXRF11 (cujas cotas ainda não foram incorporadas), utilizando proventos recebidos anteriormente. 

Vamos ao resultado mensal fechado:


RENDA FIXA

  • TD: +1,36%
A posição do momento no TD é 100% NTNB 2035. Estava na ideia de aportar em Selic 2025 mas achei uma opção melhor (vou explicar abaixo). Rentabilidade acumulada de 24,99% (valor distorcido pela venda ocorrida em Janeiro/19). 

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,18% 
A alteração do título veio em decorrência da abertura de posição no fundo BTG Selic Simples, o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic. O outro fundo do portfólio é o Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45. Rentabilidade acumulada de 0,86%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +0,31%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. O principal será pago futuramente, de modo que as correções mensais contabilizarei como aporte negativo (usarei as mesmas para abater outros acordos que temos). Não vou comparar rentabilidade neste item pois a função do mesmo é diferente das outras aplicações. Voltei a recompor minha reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,52%, fiz 1,36% no TD e 0,18% no fundo de debêntures. Na base anual tenho CDI (+2,04%) x TD (+24,99%) x FIP (+0,86%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: -0,04% 
Neste mês tivemos a nova subscrição de MXRF11, cujas cotas ainda não estão em carteira e SDIL11 já está com o bloco na rua. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11). Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top passou a ser o Fundo Square Faria Lima (FLMA11) que vem subindo como foguete (sem nenhum fator aparente) e a lanterna permanece o GGR Covepi (GGRC11). A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 12,55%.

  • AÇÕES: +1,72%
Sem mudanças nesse quesito. Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna segue com Fleury ON (FLRY3), atualmente (TIR de -24%). A carteira conta com 12 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 6,61%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando +1,03% contra -0,04% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa +0,98% contra +1,72% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+6,67%) x Meus FIIs (+12,55%) e Ibovespa (+9,63%) x Minhas Ações (+6,61%).

PROVENTOS - ABRIL/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Abril: R$ 582,14
Total Anual Acumulado 2019: R$ 2.631,07

CONSOLIDADO - ABRIL/2019

A carteira global é composta por 58,66% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 41,34% em renda fixa (TD, fundos e empréstimos).






A rentabilidade mensal ficou em +0,98%, com resultado anual acumulado de +6,97% (cerca de 342% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!

domingo, 31 de março de 2019

Fechamento - Março/2019 - R$ 177.888,19 ou -R$ 821,95 (-0,46%)

Olá a todos!
Esse mês estou meio corrido então não vou me alongar muito em explicações e justificativas. O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2019: 250K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -127,22% atingido.

Ainda longe do ponto que eu estava inicialmente. Assim, continuo no vermelho.

TRANSAÇÕES - MARÇO/2019

Somente a liberação das cotas subscritas de GGRC11 e um pequeno resgate de dinheiro para pagar despesas extras. 

Vamos ao resultado mensal fechado:


RENDA FIXA

  • TD: +0,50%
A situação atual do TD é a seguinte: 100% posicionado em NTNB 2035 mas ainda com intenção de equilibrar as coisas aportando um pouco em LFT 2025 (quando possível). Rentabilidade acumulada de 23,31% (valor distorcido pela venda ocorrida em Janeiro/19). 

  • FUNDOS DE INVESTIMENTO PRIVADOS: +0,56% 
Este item é representado pelo fundo Brasil Plural Debêntures Incentivadas 45. Como características deste fundo temos: valor de aplicação (R$ 100,00 mínimo) e taxa de administração (1,00% a.a.). Rentabilidade acumulada de 2,16%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +0,27%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. O principal será pago futuramente, de modo que as correções mensais contabilizarei como aporte negativo (usarei as mesmas para abater outros acordos que temos). Não vou comparar rentabilidade neste item pois a função do mesmo é diferente das outras aplicações. 

Na renda fixa este mês enquanto o CDI marcou 0,47%, fiz 0,50% no TD e 0,56% no fundo de debêntures. Na base anual tenho CDI (+1,51%) x TD (+23,31%) x FIP (+2,16%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: +5,28% 
Mudança com a liberação das cotas de GGRC11, que agora assume o 2º lugar em volume na carteira. O FII mais representativo continua sendo o Shopping ABC Plaza (ABCP11). Em termos da Taxa de Retorno (TIR) continua o Hotel MaxInvest (HTMX11) como o melhor da carteira enquanto a lanterna agora passou para o GGR Covepi (GGRC11). A carteira conta com 13 papéis diferentes. Rentabilidade acumulada de 12,66%.

  • AÇÕES: -2,07%
Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno permanece a liderança imbatível de IRB Brasil (IRBR3). A lanterna segue com Fleury ON (FLRY3), atualmente (TIR de -25%). A carteira conta com 12 papéis variados. Rentabilidade acumulada de 4,80%.

Na renda variável deste mês temos o IFIX marcando +1,99% contra +5,28% dos Meus FIIS e o índice Ibovespa -0,18% contra -2,07% da minha carteira de ações. Na base anual temos o IFIX (+5,58%) x Meus FIIs (+12,66%) e Ibovespa (+8,56%) x Minhas Ações (+4,80%).

PROVENTOS - MARÇO/2019

Neste mês recebi rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total Março: R$ 1.494,62
Total Anual Acumulado 2019: R$ 2.048,93

CONSOLIDADO - MARÇO/2019

A carteira global é composta por 58,46% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 41,54% em renda fixa (TD, fundos e empréstimos).







A rentabilidade mensal ficou em -0,10%, com resultado anual acumulado de +5,93% (cerca de 393% do CDI)
   


Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar.   

Até!