quarta-feira, 1 de abril de 2020

Fechamento 1º Trimestre/2020: R$ 173.556,65 (-R$ 52.128,97 / -19,62%)

Sejam todos bem vindos!
Seguindo a nova rotina chegou o momento de apresentar o fechamento trimestral da carteira. O cálculo de rentabilidade tem por base a planilha disponibilizada pelo colega ADP.

META ANUAL 2020: 300K em ativos financeiros - Resultado Parcial: -70,23atingido (kkkk)
O ano já começou com ligeiras baixas e juntamente com o #Coronavirus fez com que eu ficasse com menos que estava no início da jornada. Pelo visto o ano vai ser cheio de emoções e percalços.

TRANSAÇÕES - 1º TRIMESTRE/2020

Acabei realizando alguns aportes, parte deles antes e outros durante a queda generalizada, sendo: Na renda fixa venceu minha LCI 105% do BTG e os recursos foram pra um fundo DI. Na renda variável aumentei posições tanto em FII quanto em ações. Como estreantes da carteira tenho o FII Quasar Agro (QAGR11) e ações da empresa Priner Serviços Industriais (PRNR3). Também realizei compras de BBAS3, ALUP11, ABEV3, BRKM5 e VVAR3, além da subscrição de MXRF11.

Vamos ao resultado mensal fechado:

RENDA FIXA

  • LCI: Não se aplica 
Tratava-se de uma LCI lançada pelo banco BTG com taxa de 105% do CDI e prazo de 6 meses para resgate (vencida em março/2020). Os recursos foram direcionados para o fundo DI citado a seguir.

  • FUNDOS DIVERSOS: +0,35% 
Representado pelo fundo BTG Selic Simples, o qual por não possuir taxas acaba saindo mais vantajoso que o próprio Tesouro Selic (e que estou usando como reserva financeira). Rentabilidade acumulada de 0,35%.

  • EMPRÉSTIMOS E RESERVA: +1,10%  
Este item é representado pelo capital em empréstimos privados. Como correção do montante aplico o rendimento mensal do Tesouro Selic. Aqui também está inclusa a reserva de curtíssimo prazo (deixo na conta Nubank).

Tomando os indicadores na base anual temos o CDI (+0,90%) x Fundos (+0,35%).

RENDA VARIÁVEL

  • FIIs: -24,74% 
No momento do fechamento o FII mais representativo passou a ser o JS Real Estate (JSRE11), com a incorporação das cotas subscritas no último processo. Em termos da Taxa de Retorno (TIR) o top continua a ser o Square Faria Lima (FLMA11) e a lanterna é conduzida pelo Quasar Agro (QAGR11), que também é uma novidade do portfólio. Participei da nova subscrição de MXRF11, porém as cotas ainda não foram incorporadas. A carteira conta com 14 papéis diferentes. Rentabilidade anual acumulada de -24,74%.

  • AÇÕES: -40,04%
Realizei aumento de posição em alguns papéis e também entrei na oferta da Priner Serviços (PRNR3). Itausa PN (ITSA4) continua sendo a porção mais representativa da carteira. Em termos de retorno a líder passou a ser Sanepar Unit (SAPR11), que inclusive sofreu desdobramento (1:3), enquanto a lanterna passou para os braços da CVC Brasil (CVCB3) (TIR de -68%). A carteira conta com 16 papéis variados. Rentabilidade anual acumulada de -40,04%.

Na base anual temos o IFIX (-22,96%) x Meus FIIs (-24,74%) e Ibovespa (-42,16%) x Minhas Ações (-40,04%).

PROVENTOS - 1º TRIMESTRE/2020

Aqui são considerados rendimentos de FIIs, juros de empréstimos, além de dividendos e JCP.

Total 1º Trimestre: R$ 1.926,89
Total Anual Acumulado 2020: R$ 1.926,89

CONSOLIDADO - 1º TRIMESTRE/2020

Com a queda maciça da parte variável houve uma ligeira mudança, com a carteira global passando a ser composta por 67,13% em renda variável (FIIs e Ações) e os outros 32,87% em renda fixa (fundos, empréstimos e LCI). 




A rentabilidade trimestral ficou em -27,65%, com resultado anual acumulado de -27,65%. 
   




Finalizando mais um post, agradeço aos colegas da blogosfera e demais visitantes que tiveram paciência para acompanhar. Também peço que todos tenhamos juízo e forças para sobreviver a este momento tão complicado que estamos enfrentando.


Até Junho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário